Amigos corredores

quarta-feira, 3 de junho de 2015

O frio chega e a corrida continua

Do filme Rocky Balboa

O inverno está chegando e com ele o "friozinho", que nos faz sentir aquela vontade de somente ficar dentro de casa, agasalhado e bebendo algo quente.
Para nós corredores não existe esse privilégio, pois os treinos não podem ser deixados para a próxima estação.
Se fizéssemos isso, todo o treinamento seria posto a perder e teríamos de voltar, praticamente, ao "km 0".

Então o que fazer?

Nada diferente do que encarar o frio e dar continuidade aos treinos, porque a saúde não espera e os obstáculos são constantes no mundo dos apaixonados pela corrida.
Correr no frio é sempre um desafio a mais e não há jeito de escapar disso.
Se for correr pela manhã, só para sentir coragem de sair da cama já é uma luta.
Se for em outro horário, o dilema não é muito diferente.

Os primeiros 10 minutos do treino são os mais sofridos. Depois deles o corpo já estará aquecido e a corrida começará a ser mais prazerosa. Com isso, não é recomendável agasalhar-se demais.

Falando em agasalho, as roupas devem ser escolhidas com cuidado a depender da temperatura. Vale moleton, roupas de lycra, várias camisetas e, principalmente, luvas.
Conforme for esquentando vai-se tirando as camisetas, tal qual uma cebola sendo descascada... rsrss
Um gorro ou algo parecido para cobrir as orelhas também é recomendável.
O uso de jaqueta corta vento pode ser uma boa, mas nada de calças de nylon ou moleton, pois elas irão causar-lhe enorme desconforto durante a corrida, dificultando sua mobilidade.

Em temperaturas abaixo dos 7 ºC o negócio já começa a complicar, porque poderá tornar-se prejudicial à saúde. Principalmente para os corredores da terceira idade.

O alongamento deve ser sempre lembrado, tanto antes quanto após a corrida. Antes, para que os músculos "entendam" que terão de trabalhar e, após, para complementar o desaquecimento.

A corrida deverá iniciar lenta para, gradativamente, aumentar-se o ritmo.
Ao final será o inverso, ou seja, diminui-se gradativamente por alguns minutos, a fim de evitar a parada brusca.

A hidratação, embora menor que em dias quentes, também deve ser realizada com atenção. O suor poderá não ser abundante, mas a perda de líquido existirá. Exceto no meu caso, que sempre suo como um chafariz. rsrss

Além disso, em três pontos quase todos os corredores concordam:

1) O desempenho aumenta quando corremos no frio;
2) O risco de lesões é menor se comparado aos dias quentes, e
3) O maior desafio de correr no frio é mais psicológico do que fisiológico.

Mas de nada valem todas essas dicas se não existir vontade por nossa parte.
O verão até espera, mas a saúde não!

Vamos lá! Que frio, que nada.

Nós devemos continuar correndo, sempre!


Imagem: Google imagens





Um comentário:

Obrigado por passar correndo por aqui! Deixe sua marca, se quiser.